segunda-feira, 16 de abril de 2018

Tipografias e calendários (2)

Continuando com tipografias e com a Tipografia Barbosa & Xavier, que foi quem, de entre as tipografias, mais se destacou a apresentar, com algum estilo, as principais referências da cidade, apresento agora mais alguns exemplares de uma série editada em 1984, mais uma vez com o contributo do mestre José Veiga.
Imagens da Sé, do Bom Jesus, do Arco da Porta Nova, da Arcada, ou do Jardim de Santa Bárbara, entre outras, são, para qualquer bracarense, um orgulho ver, seja qual for a forma por que são apresentadas, verdadeiros ícones da nossa cidade.





 
 
 
 

terça-feira, 10 de abril de 2018

Tipografias e calendários

Se havia alguém privilegiado em condições de fazerem séries interessantes de calendários, eram seguramente as próprias gráficas, tipografias ou litografias.
E realmente se repararmos, verificamos que algumas destas tipografias da cidade de Braga fizeram também boas escolhas nos trabalhos que editaram sob a forma de calendários de bolso, publicitando bem a sua empresa e a cidade onde se encontravam inseridas.
Escolhi, para aqui colocar, um conjunto de calendários da extinta "Barbosa & Xavier" que nos presenteou, em 1987 com uns calendários bastantes interessantes, a exemplo do que já havia feito em 1984, com desenhos do mestre José Veiga.
Aqui ficam:



























sexta-feira, 6 de abril de 2018

Continuando com calendários...

Na década de 80, houve um grande incremento de empresas que através dos calendários de bolso publicitaram os seus produtos.
Por norma, quantidade não é sinónimo de qualidade.
No entanto hoje vamos dar algum relevo aos calendários emitidos por uma empresa já desaparecida: Móveis Machado.
Merecem especial destaque, pela qualidade da imagem, um conjunto de calendários editados em 1985, que retratam o Bom Jesus do princípio do sec. XX , com a cidade de Braga ainda bem distante...
Poderão não ser imagens inéditas, mas pela sua beleza merecem bem a sua presença nesta página.
Parabéns aos Móveis Machado, pela bela escolha que soube fazer.
Aqui ficam:











terça-feira, 5 de setembro de 2017

Braga, na segunda metade do sec XX... história contada por Calendários de bolso (2)



O assunto que me traz aqui tem a ver com o universo livreiro desta cidade há cerca de 50 anos atrás.
Quando começavam as aulas (normalmente no início de Outubro) havia uma movimento estudantil bastante curioso em torno das livrarias,  Não é propriamente a aquisição de livros a que me refiro, mas sim a procura, ou pedincha, de horários. Nesta época, era normal, por exemplo, ver-se a Rua do Souto, cheia de rapaziada que, em todas as livrarias, pediam um horário.
Por isso acaba por ser fácil falar sobre as nossas livrarias da época.

Falemos hoje da Livraria Victor e o que os calendários nos dizem desta livraria:

Do calendário de 1962 ficamos a saber que esta livraria nasceu em 1947.
A livraria situava-se na da Rua dos Capelistas, onde se manteve até ao momento em que o edifício foi demolido para dar lugar ao Centro Comercial Santa Bárbara ( é verdade que o aspeto da Rua Justino Cruz, nas traseiras da Rua dos Capelistas não era muito favorável e era necessário fazer qualquer coisa, no entanto parece que a solução encontrada não terá sido a melhor).
A designação que acompanha esta livraria é "Centro Cultural do Minho". E evocam-se 15 anos aos serviço da CULTURA...
 

Do calendário de 1963 e dos seguintes retira-se que o símbolo utilizado para identificar a livraria era um farol (pretenderia guiar a CULTURA dos bracarenses?) . 

 

Em 1970 ainda consta apenas o estabelecimento na Rua dos Capelistas, mas no calendário de 1972 nota-se que existe agora uma filial na atual Rua 25 de Abril, precursora da livraria Oswaldo Sá. Parece haver uma tentativa de aproximação ao liceu D. Maria II.
Essa filial terá sido inaugurada portanto entre 1970 e 1972 (aliás o calendário de 1972 pretende mesmo informar a sua localização).
 


 























Em  1979 aparece uma nova filial, na Rua Conselheiro Januário, na sequência da suposta aproximação aos estabelecimentos de ensino, desta feita junto ao Sá de Miranda.
 

 
 Dos calendários de 1981 e 1982  retira-se que a Oswaldo Sá terá surgido em 1982, ficando a Livraria Victor apenas com os estabelecimentos na Rua dos Capelistas e na Conselheiro Januário, situação que se manteve pelo menos até 1985. E o farol continua...

 
 
E a confirmar, em 1982, surge o 1.º calendário da Oswaldo Sá, no mesmo preciso local ...
 
  
 


Em 1985 a Livraria Victor ainda com dois estabelecimentos, opta por uma série de calendários mais juvenis:

 








Depois do camartelo da Rua dos Capelistas, a livraria Victor ainda ficou alguns anos em frente ao Sá de Miranda, até desaparecer... 
Voltarei a falar de outras livrarias, mas sem que antes aconselhe os mais curiosos que procurem conhecer algo sobre o criador desta livraria,  Dr. Victor de Sá.